top of page

O PAPAI NOEL É VERMELHO



Publiquei nas minhas mídias um artigo chamado APAGANDO E SUBVERTENDO A HISTÓRIA. Em 24 horas, teve uma imensa repercussão e interação. Aproveito a página do ZONA NORTE JORNAL para focar mais no tema que não está passando em branco que é a cor vermelha e não vermelha do PAPAI NOEL. Faço aqui adequações e acrescento elementos novos.

Desde criança, sempre vi o Papai Noel de vermelho. Chego aos 70 e alguns "inomináveis” – daqueles que a gente não cita, não diz o nome para não se incomodar - querem mudar as cores das vestes do "bom velhinho", aquele que traz presentes às crianças que "se comportaram". Os pobres e muitos comportados não vão ganhar nada neste Natal, porque as famílias andam mal das pernas. Não podem “encomendar” o Papai Noel para os filhos. Era assim que se falava, não é?

O Papai Noel foi, é, sempre será vermelho. Como o Saci Pererê é perneta e fuma cachimbo.

Agora, a escumalha que berra pela volta da ditadura, acha que tudo que é vermelho é "comunista". Sugiro que arranquem seus corações do peito e deem aos cães famintos, doem a camiseta do glorioso Internacional aos “comunistas”.

Em um shopping de Balneário Camboriú, o Papai Noel veste dourado. Nas lojas da Havan, o Papai Noel do Véio está de azul. A óptica Carol apresenta um de azul e branco listrado, enquanto em Nova Prata, uma Mamãe Noela preta, vestida de vermelho, é hostilizada.

Temos que chamar o Golpe militar de 1964 de regime militar e ditadura, pois o resto é o resto. Nada vale para a História, é deturpação.

Temos que chamar este atual governo, que perdeu e não quer aceitar, de genocida, por não ter feito o que deveria ter sido feita na pandemia, como de golpista por não aceitar o resultado das urnas.

Este barbarismo, esta Banalidade do Mal ambulante, me leva a uma frase do Nelson Sargento (1924-2021) que disse ao presidente eleito de sua Mangueira:

"A Mangueira, menino, é uma árvore frondosa, tem raízes, tronco, galhos, frutos saborosos. Você, como Presidente, é galho desta árvore. Não se esqueça: por mais que os galhos cresçam, o tronco sempre será maior e quem sustenta o tronco são as raízes".

Uma singela lição de uma grande mente, fruto de uma comunidade de samba, de aconchego, de respeito. A cada 2 de dezembro - Dia do Samba - esta frase deveria ser repetida, pois naquele meio, já tem os que se acham maiores que o tronco, nem pensam nas raízes. Assim, infelizmente, é na sociedade em geral, por isso, surgem os caciques dos partidos políticos.

A raiz, a essência, do “bom velhinho” é esta: ele é vermelho e ponto.

Estes inomináveis se acham acima de tudo, apesar de repetir aquele slogan babaca do mandatário inominável e derrotado.

Não sabem perder, mas querem subverter os caminhos traçados pela História.

Dizem-se cristãos; no entanto, os atos que praticam enterram a história de Cristo. Para eles, o Papa Francisco é comunista.

Se o Inferno existir, creio que esta escumalha vá queimar por lá.

Este é o reino deles.



ADELI SELL é escritor, professor e bacharel em Direito, diretor do ZONA NORTE JORNAL.

11 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 Comment


Excelente crônica.

Like
bottom of page