top of page

Você já ouviu falar nas PANC?

PUNK, com certeza você já ouviu falar: é um movimento musical e cultural que tem como característica músicas que abordam temas políticos e/ou anarquistas. Os membros pertencentes a esse movimento são facilmente identificados por usarem roupas pretas com tachinhas, correntes e cabelo moicano. Mas não é desse movimento revolucionário que estamos falando aqui.

As PANC que eu trago aqui são as Plantas Alimentícias Não Convencionais, ou seja, plantas que poderíamos consumir, mas que ainda não consumimos. Conhecidas como "matinhos", pelos nossos antepassados, hoje elas são desconhecidas e ignoradas pela maior parte da população. Além disso, por crescerem em qualquer lugar e, especialmente, em áreas de produção comercial, elas também são tratadas como ervas daninhas, inços ou plantas invasoras.

Agora, faça uma análise rápida e liste quais são as plantas/vegetais que você consome. Quantas você listou? Umas 15? Talvez 20? Você chegou nesse número, ou menos, poque o comércio de vegetais cultivados é dominado por algumas poucas espécies, gerando uma dieta monótona com meia dúzia de produtos diferentes na sua mesa.

A ideia, com esse novo movimento das PANC, é difundir o conhecimento sobre essas plantas, diversificar o consumo e proporcionar uma alimentação mais variada – sendo em sabor ou nutricional. Elas são fáceis de cuidar, resistentes e muito nutritivas. Além de seus teores nutricionais, as PANC podem ser utilizadas como ornamentais, com a criação de jardins comestíveis.

O termo PANC depende da forma como você dialoga com ele. Por exemplo, plantas convencionais da Amazônia podem não ser convencionais para os gaúchos, como a queridinha e conhecida de muitos ora-pro-nóbis, que é tão usada pelos mineiros, porém ainda desperta muita curiosidade por aqui. Também são denominadas PANC partes de plantas convencionais que usualmente não consumimos, como folhas de chuchu, de batata doce e de beterraba.

As PANC são plantas versáteis, cujas folhas, raízes, flores e caules são comestíveis. Ademais, a variedade de nutrientes é excelente, motivo para que se incluam essas plantas em uma alimentação saudável e culturalmente responsável. Elas são fáceis de cuidar, resistentes e, geralmente, são espontâneas – nascem por conta própria; podem ser cultivadas como ornamentais, em jardins comestíveis, hortas urbanas ou escolares. Desta maneira, as PANC constituem um instrumento pedagógico que possibilita a reflexão sobre questões ambientais, saúde, qualidade de vida e hábitos alimentares. E por conseguinte, a reconexão com a natureza e ampliação dos espaços verdes urbanos.


Márcia Peripolli é Bióloga, proprietária do Café com PANC

Whatsapp 51 8057-8710



26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page