top of page

E 2024 chegou...

 

Todo o final de ano, para algumas pessoas, ocorre de forma similar. Isto porque, independentemente do local e com quem atravessamos o fatídico portal cronológico, pensamos sobre o que aconteceu plenamente, conquistas, dificuldades, frustrações e o inusitado. Momento de check list. Até imagino a velha e boa listinha de desejos (escritas em uma folha de papel qualquer, guardanapo ou, é claro, celular) e compromissos construída na finaleira do ano anterior e o sinal de realizado ou não ao lado de cada aspiração.



Aliás, quem já fez a tal listinha pelo menos uma vez na vida? Euzinha já construí várias...

É inegável a mística dos pulinhos no mar durante a virada, as cores das roupas e muitos rituais para a celebração da chegada de um novo ano. Mas o mais importante. Qual o sentido e o significado da passagem de ano para ti? Costumas celebrar? De que forma?

Somos convocamos a um determinado jeito de comemorar. Aliás, as pessoas precisam estar felizes, junto com a família e amigos. Quantas máscaras precisam ser usadas.... Jogo de marketing, de imagem, de um consumo desenfreado. Em muitos lugares, a regra é não ter regra... tudo é possível para a felicidade do ego (não da Alma) e pouco para o coletivo.

Se estiveres em frangalhos, bah! É necessário cavocar um espaço para o acolhimento e cuidado de si. E, sempre existe alguém que pode apoiar. Mas é essencial que nós mesmos possamos nos perceber e nos proporcionar o que a nossa Alma necessita.

Nesta virada, mais uma vez, o Planeta foi convidado a enxergar as suas mazelas. Guerras que persistem e nos mostram o quanto os seres, ditos humanos, podem permitir que o poder, ganância, instinto, raiva e nível de agressão exacerbado, atravessem uma fronteira irreparável; desastres espalhados pelo mundo e muitas outras situações que possas estar lembrando ao ler esta crônica. Aliás crônica que, talvez, não esteja sendo tão poética até o momento.

Podes estar se perguntando o porquê estou compartilhando isto no início de 2024... Desejo que até final, compreendas.

Quando Sinto 2023, é um misto de Gratidão e Paz com uma certa dose de ansiedade. Foi um ano complexo, onde me deparei com o melhor de mim, mas Senti no fundo do meu Ser, momentos de dor e angústia que me convocaram a (re)mexer (lembrei do personagem Rei Julian, do desenho Madagastar, inclusive com o tom musical). Claro, sem perder a ternura e o bom humor... Talvez alguns de vocês também tenham atravessado o pântano, em instantes de escuridão ou de luz...

Vivi momentos inimagináveis. Alguns me trouxeram alegrias e outros, nem tanto. Mas todos foram importantes para a minha caminhada. Quando nos permitimos viver a intensidade da Existência, tudo é possível. Acabamos colocando os ladrilhos necessários no chão, com a terra e vegetação que nos proporciona a força necessária para seguir. Quando damos um passo em falso, nos desequilibramos. E, o desequilíbrio acontece, às vezes, pelo enfraquecimento do nosso corpo ou pelo solo que caminhamos. Seja qual o motivo, tudo é oportunidade.

Podemos nos sentar no chão, encontrar uma árvore para nos apoiar, encontrar um lago, rio ou mar para nos banhar e tirar a poeira. Contemplar a lua, o sol e, também, reclamar... Lembrando que, após a reclamação, precisa vir a ação.... O importante é que a aposta seja em nós mesmos.

A alteração de ano pode convidar à reflexão, contudo mudanças de ciclos não estão relacionadas à cronologia, mas ao que produzimos internamente. Está naquilo que concretizamos na nossa Existência, no que cumpriu o seu tempo e o seu percurso.

É um processo.

Então pare, respire e sinta...

Se permita desfrutar da Existência!

As questões que propus na crônica anterior, talvez, sejam importantes ser retomadas e complementadas:

Quais os sonhos que tiveste no decorrer da tua Existência?

Quais realizaste?

Quais os que não foram concretizados?

Daqueles não realizados, o que refletes sobre os motivos que os impossibilitaram?

Quais dos seus sonhos mudaram de rota?

Tens sonhos?

Quais as questões que insistem em permanecer em teu coração?

O que te faz levantar diariamente?

Que dificuldades têm enfrentado?

No que avalias que necessitas melhorar?

Ufa! Vamos descansar um pouco....

É simples? Nem sempre. Tudo depende de como Enxergamos e Sentimos o processo. Olha que nem tinha falado de sonhos.....

É... complexo... mas aviso... vale cada passo. Cada lágrima (de tristeza ou alegria), cada riso...

Será que cumpri o propósito do motivo de estar compartilhando estas reflexões com vocês? Bem... é sobre Celebrar e não celebrar...

Celebrar é Profundo e vem da Alma... celebrar vem da superfície...

Desejo, do fundo do meu coração, que possam se permitir Existir e Ser.... Que independente dos dias de um determinado ano, permitam que os ciclos ocorram no seu tempo. Há o tempo da observação ativa e da ação. Que os ciclos que estiverem presentes em suas jornadas sejam de Plenitude!

Obrigada por tornarem a minha caminhada melhor! Gratidão por cada leitura e por cada comentário. Sejam eles escritos na página do jornal, no contato direto pelo whtasapp ou, simplesmente pela reflexão que realizam através dos seus Corações.

Que sejamos Luz e Sabedoria!




Patrícia Ziani Benites

Psicóloga e Escritora

Canal no YouTube: Tocando o Coração Enxergando a Alma

111 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page