top of page

NARRATIVAS E FATOS

Diferentemente do dilema do que veio antes o ovo ou a galinha; cronologicamente, o fato vem antes da narrativa.

No passado, quando se falava em narrativa, tínhamos tão somente o Romance, Novela, Conto, Crônica e Fábula.

Atualmente, o termo "narrativa" serve para (quase) tudo, o que também é uma pobreza de vocabulário a ser usado e muitas vezes é um termo inadequado.

Para o Deus Kronos, senhor do Tempo, o fato precede a narrativa.

No entanto, nos tempos líquidos e voláteis, onde o que é sólido desmancha no ar, fabrica-se uma invencionice, para sumir em seguida e ninguém lembra dela. Para tal, fabrica-se na cabeça dos operadores do Mal mais e mais invencionices, ficção de quinta categoria,  para tentar encaixar os fatos. Tenta-se dar concretude a algo escorregadio, vago, impreciso.

O caso típico aconteceu nesta semana no âmbito do Senado da República, quando o senador direitista Marcos do Val fabricou uma "narrativa", tentando encaixar fatos e atos.

Um fato é que o senador falou de um encontro com dois golpistas, o ex-presidente Inominável e o ex-deputado pimpão Daniel Silveira, preso na semana, depois dessas "denúncias", mas nada a ver com tal fato - apesar das narrativas.

O fato é que o senador falou que iria renunciar, ora quem fala que vai, apresenta a renúncia, o texto, assinado e ponto, e vai. Não, falou para realizar uma narrativa que o levou a falar com o Ministro do STF, Alexandre de  Moraes. Como da sua visita, corretamente o Ministro o atendeu de forma pública, pois do fato de atender em privado poderia sair uma narrativa, contando cobras e lagartos, mesmo nada sendo verdadeiro. Pois destes meliantes da direita não se pode esperar nada além de mentiras, fakenews, armações como "narrativas" de fatos pouco reais e concretos.

O fato é que o Senador não renunciou nem deve renunciar, pois não vai abrir mão de salários, assessores, muito menos do "fórum privilegiado", do qual a extrema-direita  tanto fala e extrapola o tempo todo.

Lamentavelmente, muitas pessoas de esquerda compraram a versão, esta seria a palavra mais adequada para a tal "narrativa" do senador direitista;  enquanto isso, a direita toma um fôlego do laço que levou na eleição da presidência do senado.

As razões das idas e voltas de Marcos do Val quais seriam? Os contatos feitos pelo clã bolsonarista? E o que tem a fala de Flávio, o senador da mansão, com isso?E o que tudo isto tem a ver com a ausência de Carluxo do país ainda?

Depois de muito blá blá blá, Marcos do Val admite mentiras e diz que seu alvo é Lula. Logo, comprova minha tese.

O fato é que o vereador que não aparece na Câmara do Rio está borrado, precisando de narrativas múltiplas, para gerar uma cortina de fumaça, para voltar sem ser muito visível.

E o que Daniel Silveira tem a ver com isso? Ele pagou ao Inominável a dívida pelo perdão que recebeu. Mas foi um perdão, este é o fato, pois as narrativas davam conta que ele estaria perdoado de tudo. Não, o fato é que deve e deve muito. Como explicar os 270 mil reais em sua casa. Isso é fato. Quem guarda dinheiro vivo em casa nos dias atuais? Ninguém né: isso é fato!A mídia independente precisa explicar em linguagem mais simples possível o que se passa no país. Teses acadêmicas não são lidas.



ADELI SELL é escritor, professor e bacharel em Direito.

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page